BRCOIN - DCOINS

COMPRE NIOBIO CASH [NBR] - AGORA - APENAS 0.00000021 BTC | $0.0019 USD | GANHE GRÁTIS NO FAUCET

Qual seu Estado ? Cidade:

SAO LUIS - MARANHAO

https://g1.globo.com

Maranhao Ja Registra 25 Casos De Feminicidio Ate A 1andordf Semana De Agosto Em 2018


Fonte: g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2018/08/09/maranhao-registra-25-casos-de-feminicidio-ate-a-1a-semana-de-agosto-em-2018.ghtml


Voltar

Maranhão já registra 25 casos de feminicídio até a 1ª semana de agosto em 2018 | Maranhão | G1 G1 Maranhão Maranhão já registra 25 casos de feminicídio até a 1ª semana de agosto em 2018 Na semana em que a Lei Maria da Penha completa 12 anos, um evento em São Luís discutiu questões sociais e jurídicas que refletem o aumento do números de casos no estado. Facebook Twitter email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp Por G1 MA, São Luís 09/08/2018 20h35 Atualizado 09/08/2018 20h36 Maranhão registra 25 casos de feminicídio em 2018 Em 2016 foram registrados 47 casos de feminicídios no Maranhão. Em 2017, o número subiu para 50 e até 1ª semans de agosto de 2018 foram contabilizados 25 casos. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública e também apontam que, na maioria vezes, o autor do crime é o companheiro ou o ex-companheiro da mulher. Pela semana de comemorações aos 12 anos da Lei Maria da Penha, representantes da rede de proteção à mulher vítima de violência estão debatendo o funcionamento da assistência social, psicológica, jurídica e à saúde. Esses pontos são considerados falhos entre o acolhimento às vítimas e o monitoramento do agressor. “Existem descompassos que precisam ser vistos, que precisam ser monitorados e continuamente revisados para que essa mulher que precisa do atendimento seja acompanha de fato e, principalmente, de direito”, afirmou Lúcia Gato, presidente do Conselho Estadual da Mulher. Representantes da rede de proteção à mulher vítima de violência debatem questões de enfrentamento ao feminicídio em São Luís (Foto: Reprodução/TV Mirante) Casos Em junho de 2017, no bairro do Coroadinho, Andreia Teixeira foi assassinada a golpes de facão por Ivar de Matos, com quem conviveu por mais de 12 anos. Ele cometeu o crime porque não aceitava o fim do relacionamento. Desde então a vida da mãe de Andreia, Ana paula, tem sido de dor. “É como se tivesse tudo picadinho. A gente não vive. A gente sorri, continua a vida, mas só Jesus mesmo para dar essa força”, contou Ana Paula, que é servidora pública. Andreia foi morta pelo ex-marido a golpes de facão em São Luís (Foto: Reprodução TV Mirante) Em abril deste ano Ivar foi condenado a 20 anos de reclusão em regime fechado, mas Ana Paula diz que isso não repara a dor que sente. “20 anos não vai trazer a vida da minha filha de volta, mas pelo menos eu sei que ele está preso”, contou. A servidora pública Ana Paula conta que vive momentos de dor após a morte da filha, que foi vítima de feminicídio (Foto: Reprodução/TV Mirante) Como denunciar Casos de violência contra a mulher podem ser denunciados a qualquer hora do dia na Casa da Mulher Brasileira, localizado no bairro Jaracati, em São Luís. “É registrado a ocorrência, ela pede a medida protetiva de urgência que já é encaminhada imediatamente para a justiça. Se essa mulher estiver em uma situação de risco, ela vai ter essa proteção estatal com a decisão judicial de medida protetiva de urgência, que na maioria dos casos proíbe a aproximação do agressor da vítima. Ele descumprindo essa medida a justiça decreta a prisão preventiva do agressor”, afirmou Wanda Moura, delegada da mulher. MAIS DO G1 Aos 80 anosMorre Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU e Nobel da PazHá 17 minutos Mundo Força-tarefa'Dia D' contra pólio e sarampo hoje inicia meta de vacinação de 11 milhões de crianças Campanha vai até 31 de agosto. Mais de 36 mil postos estarão abertos no país. Apenas 16% do público-alvo foi imunizado, segundo o Ministério da Saúde.Há 3 horas Bem Estar Solidariedade'Criança Esperança' tem shows de Ivete, Safadão, Milton Nascimento e Caetano170 artistas, jornalistas, atletas e influenciadores vão atender telefonemas de doadores.Há 55 minutos Pop & Arte 4 anos de crise3,3 milhões de brasileiros desistiram de procurar emprego, diz IBGEÉ como se a toda a população do Uruguai ou do Amazonas decidisse cruzar os braço. Há 58 minutos Economia Eleições 2018O que dizem os presidenciáveis em seus programas de governoHá 12 horas Fato ou Fake 8 presidenciáveis discutem propostas no 2º debate da campanha eleitoralCandidatos participaram de encontro na 'RedeTV!'.Há 7 horas Eleições 2018 Coligação de Meirelles pede ao TSE para rejeitar candidatura de AlckminMDB argumenta que atas de seis partidos que compõem coligação estão irregulares.Há 6 horas Eleições 2018 Contestações à candidatura de Lula no TSE ficarão com BarrosoHá 15 horas Eleições 2018 Lava JatoSTF decide na terça-feira se mantém José Dirceu em liberdadeRaquel Dodge pediu que a 2ª Turma reveja decisão e mande prender ex-ministro.Há 10 horas Operação lava jato Veja mais globo.com Globo Notícias © Copyright 2000-2018 Globo Comunicação e Participações S.A.
... ++ Mais

TAGS:

Maranhão registra casos feminicídio até semana agosto 2018 Maranhão Maranhão Maranhão registra casos feminicídio até semana agosto 2018 semana Maria Penha completa anos evento São Luís discutiu questões sociais jurídicas refletem aumento números casos estado. Facebook Twitter email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp São Luís 09/08/2018 20h35 Atualizado 09/08/2018 20h36 Maranhão registra casos feminicídio 2018 2016 foram registrados casos feminicídios Maranhão. 2017 número subiu para até semans agosto 2018 foram contabilizados casos. dados são Secretaria Segurança Pública também apontam maioria vezes autor crime companheiro ex-companheiro mulher. Pela semana comemorações anos Maria Penha representantes rede proteção mulher vítima violência estão debatendo funcionamento assistência social psicológica jurídica saúde. Esses pontos são considerados falhos entre acolhimento vítimas monitoramento agressor. “Existem descompassos precisam vistos precisam monitorados continuamente revisados para essa mulher precisa atendimento seja acompanha fato principalmente direito” afirmou Lúcia Gato presidente Conselho Estadual Mulher. Representantes rede proteção mulher vítima violência debatem questõ